Aprendendo Java

4 de julho de 2009

Estava estudando Java para tirar minha certificação SCJA, com isso acabei fazendo um resumo bem interessante de todo o meu aprendizado, por isso irei postar aqui tudo oque aprendi estudando e irei me dispor a tirar dúvidas de quem precisar.

Logo estarei mudando o endereço do blog e passarei a atualiza-lo com mais frequência, por isso recomendo que o visitem periodicamente para não perder nenhuma aula. Devido a alguns projetos pessoais o blog irá se juntar a eles e ficará neste endereço www.edicarlosbarbosa.com/blog para todos aqueles que acompanham estes posts acredito que ficará ainda melhor a visualização dos textos.

Como na vida tudo muda, e pra todo efeito existe uma causa, na minha vida não seria diferente. Com novos projetos, nova visão de carreira, novas posições hierarquicas em algumas instituições, maior participação do núcleo educacional da minha faculdade, minha vida está inconstantemente alterada, ainda bem que pra melhor.

Por isso a atualização do blog será mais frequente e o mesmo se juntará a meus projetos pessoais, pretendo ganhar maior visibilisade academica e profissional e o blog será parte integrante desta nova fase em minha vida.

Por fim venho anunciara inicio de uma participação academica mais ativa em minha vida, portanto venho também anunciar que estou finalizando um livro sobre calculo diferencial integral que fará parte dos meus projetos e logo será lançado, e lógico a data será divulada primeiro aqui.


Direito de privacidade

21 de dezembro de 2008

Vivemos em um mundo onde à nossa privacidade não é mais respeitada. Temos os nossos direitos desrespeitados pela nossa família, amigos, colegas de trabalho, governos e até mesmo por pessoas que nem ao menos conhecemos.
Em um mundo onde uma pessoa decide se excluir e se reservar ao direito de ficar só com seus pensamentos e idéias ela acaba sendo taxada de maluca, solitária, individualista e por vezes arrogante. As pessoas não entendem às necessidades dos outros de se manterem reclusos, livres de pessoas que questionam nossas idéias e direitos.
Ninguém compreende a importância do pensamento e não conseguem se concentrar no seu próprio eu, não chegam ao mais recôndito pensamento da sua mente, e acabam por não entender o comportamento de quem consegue.
Nós que por opção decidimos mantermo-nos livres de conversas superficiais sobre os programas inúteis da TV, ou de festas que se tornam motivo de degradação corporal e mental e principalmente de mantermos nossas vidas ocultas. Acabamos sendo massacrados por todos, como se fossemos prepotentes idiotas sem ao menos pensarem sobre nossa necessidade de privacidade.
O respeito por ela não existe mais, ou talvez nunca existisse, mas o certo é que não é justo que desrespeitem um direito que é de todos, regrado pela constituição. Portanto a injustiça que se faz a este tema deve ser levada a sério por mais que incomode quem não entenda ou não concorde.
Autor: Edicarlos Santana Barbosa, Analista de redes, Graduando em Ciência da Computação e amante da filosofia psicologia e sociologia.

edicarlosbarbosa@diagonalurbana.com.br


Instalando e configurando o squid

19 de outubro de 2008

O squid é utilizado em muitas empresas, universidades, enfim nos mais variados lugares com o objetivo de controlar o acesso a sites na web, em computadores ligados em rede. O seu uso é conhecido por quase todos os administradores de redes, já que se tem conhecimento de que ele é um dos mais eficientes recursos para esta atividade.

O objetivo deste artigo é mostrar a sua instalação, configuração e utilização em plataformas linux. Com um método direto para que vocês não se percam em descrições desnecessárias de funções desta ferramenta. Já que isto é uma breve introdução aos seus recursos e pode ser usado como um guia de referência e não como um conteúdo didático.

Pois bem começo o post mostrando como dever ser feita a instalação do squid em sistemas linux. Vou usar como sistema o Debian. Já que é o sistema mais fácil e que eu recomendo para a utilização desta tarefa, mas também irei mostrar como fazer em sistemas que utilizam pacotes RPM, como é o caso do Mandriva.

Instalando no Debian:

# sudo apt-get install squid

Simples não é por isso recomendo a utilização do Debian, mas para quem utiliza outro sistema o comando é este.

Instalando em sistemas de arquivos RPM:

# Baixem o pacote deste link: http://www.squid-cache.org/

e depois utilizem este comando :

# rpm −ivh squid.x.y.z.rpm

Pronto após instalar vamos configurar o Squid, iremos localizar o arquivo squid.conf para futuras alterações e configurações.

Utilize este comando para procurar o arquivo squid.conf:

# locate squid.conf

ou

# find squid.conf

Isto te dará o diretório onde está o arquivo, porque ele pode variar dependendo do sistema operacional de cada um.

Agora vamos começar a configuração do squid para bloqueio da rede. Abra o arquivo squid.conf com seu editor de textos qualquer e procure as seguintes linhas: ACLs

Embaixo destas linhas coloque o número de ip da sua rede:

acl rede_interna src numero da sua rede

E a seguinte linha na seção de acesso (TAG: http_access)

http_access allow rede_interna

Pronto agora vamos começar a configurar o bloqueio a sites indesejáveis, teremos que criar alguns arquivos para a manutenção do bloqueio.

Vamos fazer aqui a criação de pasta e de arquivos Block e Unblock:

# mkdir /etc/squid/bloqueados

ou

# mkdir /usr/local/squid/etc/bloqueados

# touch /etc/squid/bloqueados/block.txt

ou

# touch /usr/local/squid/etc/bloqueados/block.txt

# touch /etc/squid/bloqueados/unblock.txt

ou

# touch /usr/local/squid/etc/bloqueados/unblock.txt

No arquivo block você coloca todos os sites que deseja bloquear e no unblock as exceções que você deseja liberar.

Após isto tudo abra o squid.conf e coloque as seguintes linhas antes da linha:

acl all src 0.0.0.0/0.0.0.0:

e coloque as seguintes linhas:

acl blockedsites url_regex −i “/etc/squid/bloqueados/block.txt”

acl unblockedsites url_regex −i “/etc/squid/bloqueados/unblock.txt”

ou

acl blockedsites url_regex −i “/usr/local/squid/etc/bloqueados/block.txt”

acl unblockedsites url_regex −i “/usr/local/squid/etc/bloqueados/unblock.txt”

Agora procure no seu squid.conf a linha http_access deny all e coloque antes dela:

http_access deny blockedsites !unblockedsites

Pronto este é o básico do básico para a instalação e configuração do squid, uma ferramenta que se mostra muito estável para este tipo de tarefa, Para mais detalhes e informações de recursos acessem a lista de link abaixo.


Extraindo cd’s de música para mp3 no Ubuntu

17 de agosto de 2008

Como a grande maioria sabe o ubuntu tem alguns problemas em ter acesso por padrão ao formato de mp3 devido à algumas patentes comerciais, por isso ele não é possivel logo de imediato ouvir seus
arquivos de mp3, obrigando-o a baixar alguns plugins para a compatibilidade do mesmo com o sistemas.
A instalação destes plugins é útil para você poder ouvir suas músicas, mas ela é limitada a apenas isto
caso você queira extrair um cd para mp3 não irá conseguir também.
Por isso vou ensinar como instalar um plugin que te ajudará nesta tarefa que pra alguns é extremamente essencial.

Vamos lá abra o seu terminal e rode o comando:
sudo apt-get install gstreamer0.10-plugins-ugly-multiverse

Após instalado abra o extrator de cd’s sound juicer na aba de som e video do menu.

sound juicer

sound juicer

Depois vá em editar => preferências => e em formato de saída coloque formato em mp3.
Pronto agora é só extrair o seu cd que ele vai gerar o arquivo em mp3.


Ubuntu ou Opensuse ? eis a questão.

22 de julho de 2008

Muitos que pensam em começar a utilizar uma distribuição linux ficam na dúvida entre qual escolher ?

Pois bem visto que muitos tem esta difícil tarefa de escolha vou tentar ajudar com meus humildes conhecimentos.

Opensuse

Apesar de não ser muito conhecido aqui no Brasil o opensuse é muito utilizado lá fora, e ainda por cima contém um grande conteúdo em documentação em português, a lista de repositórios é muito extensa e contém tudo oque um usuário precisa.

Conta com comunidades espalhadas ao redor do mundo, inclusive no brasil http://www.susebr.org que dispõe de muitos tópicos e caso precise de ajuda também.

A instalação é muito simples auto-explicativa e não deixa oportunidade para dúvidas fazendo com que qualquer usuário recém chegado consiga instalar.

O Opensuse é uma ótima opção para quem nunca utilizou linux e deseja ter um primeiro contato. No próximo post irei detalhar a configuração dele para os usuários mais avançados.


Instalando o apache+php5+mysql no linux

20 de julho de 2008

Algumas pessoas que acabam de migrar do windows tem um pouco de dificuldade de instalar alguns programas no linux, por isso este autor que vos escreve vem aqui com o singilo conhecimento para ajudar estas almas recém chegadas ao mundo livre.

Vamos por começar abrindo o terminal, porque é por ele que faremos tudo. Com o terminal aberto digite:

sudo apt-get install apache2 php5 php5-mysql mysql-admin

Depois dele ter feito o download e instalar tudo pra você, vamos instalar o phpmyadmin. O phpmyqdmin é um componente que o ajudará na criação de tabelas e inclusão de dados no seu banco de dados mysql sem a necessidade de saber a linguagem sql para executar tal feito.

Com o terminal aberto digite:

sudo apt-get install phpmyadmin

pronto após o download e instalação você já tem tudo para começar a programar suas páginas php com o suporte ao banco de dados mysql.

Para configurar a senha e usuário do banco de dados digite no terminal:

sudo mysqladmin -u root password

Pronto no lugar de root você coloca o usuário que quiser e depois o sistema te pede a senha e você coloca a que desejar também.

Para testar o sistema crie uma página com o seguinte código:

<?php

phpinfo();

?>

Salve o código na pasta /var/www/ com nome de index.php

e depois abra o seu navegador e digite localhost/index.php

Se aparecer as informações do php é porque está funcionando normal, caso isto não aconteça coloque suas dúvidas nos comentários que eu respondo ou me envie um email edicarlosbarbosa@gmail.com

Espero que tenha ajudado à todos, bom divertimento.


Configurando o speedy no ubuntu

6 de julho de 2008

Notas :
1 – Usuários do Kubuntu precisam substituir todas as ocorrências de gedit por kate
2 – Você só precisa fazer isso uma vez; sempre que reiniciar o micro, você já estará automaticamente conectado.
3 – Como se pode ver, não há nada de pons e poffs….
4 – Ao invés de digitar os comandos e os textos abaixo, use sempre o Copiar & Colar, isto é, Ctrl + C & Ctrl + V, porque previne contra erros de digitação

Let’s go:

1 – Abra um terminal e digite:

Código:
sudo pppoeconf

Anote
o nome da placa encontrada pelo Concentrador de Acesso, pois você
poderá precisar dela mais tarde. Se sua máquina tiver apenas uma placa,
ela será sempre eth0, mas se houver mais de uma, o Concentrador poderá
utilizar a eth1 ou eth2 etc.
Vá clicando em OK (ou Yes) e quando lhe for pedido seu login, digite-o neste formato: login@provedor. No meu caso, ficaria: edicarlos@uol.com, pois meu login é jotabb e meu provedor de acesso é o Expresso. Em seguida, ser-lhe-á pedida sua senha (password) no provedor. No meu caso, eu digitaria pinkFloyd17, pois esta é minha senha Sorridente. Note-se que antigamente esses campos eram preenchidos com seu DDD+telefone.
Continue clicando em OK (ou Yes) até o final.

2 – Abra seu navegador : se tudo correu bem, você já conseguirá navegar.

3 – Se nada acontecer e houver uma mensagem no canto inferior esquerdo dizendo “Localizando site (ou Looking up site)”, feche o navegador, abra um terminal e digite:

Código:
sudo route add default ppp0

Esse comando fará com que a navegação seja feita pela placa virtual ppp0, e não pela sua placa física (não se preocupe, dá na mesma).

4- Reabra o navegador e veja se tudo está ok; se não estiver, rode novamente o pppoeconf, conforme explicado no passo 1. Se ainda assim a conexão não for estabelecida, reinicie o micro e refaça os passos 1, 2 e 3.

5 – Nada ainda? Muito bem, neste caso e nos casos em que você consegue navegar porém precisa rodar o pppoeconf cada vez que liga o micro, faça o seguinte:

5.1 – Abra um terminal e digite:

Código:
sudo gedit /etc/network/interfaces

Substitua todo o texto do arquivo por este, respeitando os espaços e as linhas em branco; depois salve-o e feche-o:

# /etc/network/interfaces — configuration file for ifup(8 ), ifdown(8 )

# The loopback interface
# automatically added when upgrading
auto lo
iface lo inet loopback

auto dsl-provider
iface dsl-provider inet ppp
provider dsl-provider
# please do not modify the following line
pre-up /sbin/ifconfig eth0 up # line maintained by pppoeconf

# added by pppoeconf
auto eth0
iface eth0 inet manual

Obs: Se for seu caso, substitua todas as ocorrências (são 3) de eth0 por eth1, ou eth2, eth3 etc

5.2 – Ainda no terminal, digite:

Código:
sudo gedit /etc/ppp/peers/dsl-provider

Igualmente,
substitua todo o texto do arquivo por este; depois salve-o e feche-o:
(obs: pode acontecer de esse arquivo estar vazio; nesse caso, você não
vai substituir, vai incluir Sorridente)

# Minimalistic default options file for DSL/PPPoE connections
# /etc/ppp/peers/dsl-provider

noipdefault
defaultroute
replacedefaultroute
hide-password
#lcp-echo-interval 30
#lcp-echo-failure 4
noauth
persist
#mtu 1492
usepeerdns
plugin rp-pppoe.so eth0
user “login@provedor”

Obs :
1 – na penúltima linha, substitua eth0 por eth1 ou eth2, eth3 etc, se for o seu caso;
2 – na última linha, substitua login@provedor por…er… seu login em seu provedor, respeitando as aspas. Como já disse, no meu caso essa linha ficaria assim:
user “edicarlos@uol.com”

5.3 – Rode o pppoeconf ainda uma vez (provavelmente a última…)

Código:
sudo pppoeconf

Vá clicando em OK (ou Yes) e forneça seu login & senha quando solicitado, no formato exposto no passo 1. Abra o navegador e…voilá!!!. Atenção: pode ser necessário reiniciar a máquina ainda uma vez Sorridente.